23 October 2010

Extinção do Teatro Nacional São João causará danos irreparáveis na vida cultural do Porto

Em comunicado enviado hoje às redacções, o Bloco de Esquerda dá conta da possível extinção do Teatro Nacional de São João. Para o BE, esta medida causará danos irreparáveis na vida cultural do Porto que depois de perder o seu único Teatro Municipal, o Rivoli, está agora na situação inimaginável de perder também o Teatro Nacional São João.

A proposta de Orçamento do Estado para 2011 prevê a extinção do Teatro Nacional São João, a única estrutura de criação e produção descentralizada do Ministério da Cultura e um pilar essencial da vida cultural na cidade do Porto. O Porto, segunda cidade do país e a cidade com mais escolas de teatro do país, depois de perder o seu único Teatro Municipal, o Rivoli, está agora na situação inimaginável de perder também o Teatro Nacional São João.

O Teatro Nacional São João programa três instituições culturais – o Teatro Nacional São João, o Teatro Carlos Alberto e o Mosteiro de São Bento da Vitória – mantém um centro de documentação de grande relevância e é o único parceiro institucional estável das estruturas independentes de teatro e dança na cidade. E é uma das entidades com orçamento mais baixo neste sector; o financiamento do Estado ao Teatro Nacional São João é cerca de metade do atribuído à Casa da Música e é bastante inferior ao do Teatro Nacional D. Maria II.

A fusão do Teatro Nacional São João na estrutura da OPART (entidade gestora do Teatro Nacional de São Carlos e da Companhia Nacional de Bailado) é portanto um gesto incompreensível e que causará danos profundos e irreparáveis na vida cultural da cidade. Não tem qualquer sentido que um Teatro Nacional no Porto seja gerido a partir de Lisboa e menos sentido tem ainda que uma estrutura operante, sem défice financeiro ou problemas laborais relevantes, seja afogada numa estrutura gigante, muito deficitária e com problemas gravíssimos do ponto de vista laboral.

Com a decisão de extinção do Teatro Nacional São João o Ministério da Cultura dá a mão ao executivo de Rui Rio, não por acaso a gestão camarária que mais tem desinvestido num política cultural na cidade, privando o Porto e os seus agentes culturais do único instrumento de afirmação e promoção da sua capacidade de criação artística.

Neste sentido, o Bloco de Esquerda questiona o Governo, através do Ministério da Cultura, sobre se estudou o Ministério o impacto da extinção do Teatro Nacional São João no tecido cultural, na cidade do Porto e no país? Para a tomada desta decisão foram ouvidos o Conselho de Administração e a Comissão de Trabalhadores do Teatro Nacional São João, bem como os agentes culturais da cidade ou outras entidades directamente afectadas por esta decisão? Se sim, quais os pareceres dessas entidades? Estudou o Ministério da Cultura o impacto financeiro desta decisão? Que valor prevê o Governo poupar com esta extinção e qual o seu impacto no equilíbrio das contas públicas? Veja aqui as perguntas ao Governo.


No comments:

Visitas

Contador de visitas